< Voltar

Estudo da Uningá vai avaliar a água do Córrego Morangueiro, afluente do Pirapó

18 de maio de 2017

Uma pesquisa coordenada por professores do Curso de Engenharia Civil da Uningá (Centro Universitário Ingá) vai avaliar as caraterísticas da água do Córrego Morangueiro, afluente do rio Pirapó, principal fonte de abastecimento de Maringá. À frente do trabalho estão os professores Geziele Mucio Alves, Lourival Domingos Zamuner e a coordenadora Cláudia Telles Benatti. O ribeirão Morangueiro tem suas cabeceiras de drenagens localizadas no Parque Alfredo Werner Nyffler.

 

A professora Geziele explica que a ideia de realizar a pesquisa para avaliar os aspectos físico-químico e morfométrico do ribeirão surgiu no ano passado, após a instalação do Laboratório de Saneamento do Curso de Engenharia Civil. Os córregos desempenham um papel essencial para a formação dos rios porque captam e drenam as águas da chuva e das nascentes. Até o seu deságue no rio Pirapó, o córrego tem em seu percurso, nascentes de córregos, uma estação de tratamento de esgoto da Sanepar, despejos concentrados de águas pluviais captados do entorno e até mesmo esgotos clandestinos.

 

Segundo o professor Zamuner, as coletas para análise da água iniciam em dois meses e a pesquisa tem previsão de um ano de duração. Os resultados serão divulgados em eventos e publicações de caráter científico e fornecerá subsídios para representar a Uningá no Comitê de Bacia Hidrográfica (CBH) do Piraponema - Instituto das Águas do Paraná, que abrange as bacias hidrográficas dos rios Pirapó e Paranapanema 3 e 4.

 

Além dos três docentes da Engenharia Civil, participam do Projeto “Avaliação Físico-química e Morfométrica do Córrego Morangueiro de Maringá”, acadêmicos do terceiro e quarto ano do curso.

 

Nossa água

 

O Brasil possui a 12% da reserva de água doce do mundo e mais de 70% das reservas hídricas do País se concentra na Amazônia. Apesar de a água ser o recurso mais precioso que existe para a manutenção da vida, é tratada, muitas vezes, como se jamais fosse acabar.

 

O desmatamento, as queimadas, o descuido com as matas ciliares, o uso inadequado dos solos e as mudanças climáticas naturais ou por intervenção do homem impactam na redução do volume e da qualidade da água. É nesse contesto que a preservação dos rios e nascentes se torna essencial.

 

A Bacia do Pirapó compreende uma área de drenagem de 5.067 km2 localizados no terceiro planalto paranaense. O rio, principal fonte de abastecimento de Maringá, nasce no município de Apucarana a 1.000 metros de altitude, corre em direção Norte, percorrendo uma extensão de 168 km até sua foz e desagua no rio Paranapanema, a 300 metros de altitude no município de Jardim  Olinda.

 

DESTAQUES VEJA TODOS