< Voltar

“Conhecimento e descontração marcaram a abertura da XV Semana de Enfermagem da UNINGÁ

29 de junho de 2017

 “Cada um é responsável pela busca do próprio conhecimento e em fazer o seu melhor”, lembrou a professora Lilian Gatto, ao dar boas-vindas ao público presente no Anfiteatro Anísio Teixeira, na abertura da XV Semana de Enfermagem da UNINGÁ, nesta quarta (28).

O evento teve início com a palestra “Enfermagem no Contexto das Urgências/Emergências” proferida pelo enfermeiro Marcelo Marcelo, do Ambulatório DST/Aids da Secretaria Municipal de Saúde de Maringá. Em sua abordagem, ele defendeu que o profissional de enfermagem seja preparado para atender, com qualidade, ambas as situações.

As emergências são situações em que o paciente corre risco de morte e que exige atendimento imediato como uma parada cardiorrespiratória ou um infarto, por exemplo. “Não importa se você no Programa de Saúde da Família ou na unidade básica de saúde, se houver uma emergência você precisa saber atender”, insistiu.

Marcelo também destacou a importância de valorizar as vitórias do dia a dia, de atuar sempre com humanização e de manter uma postura de empatia diante dos pacientes. “A gente acerta tanto, mas esquece de se congratular por isso. Pelo contrário, a tendência é lembrar sempre da batalha que perdemos, mesmo sabendo que não foi por falta de capacidade. Sempre haverá estresse, pressão e angústia, mas o paciente também sente a mesma coisa, por medo que a gente não dê conta de cuidar dele ou do seu familiar”.

O fisioterapeuta e professor de Fisioterapia da UNINGÁ, e músico Luiz Fernando Vieira adotou uma performance lúdica para falar da importância das relações interpessoais. Ao violão e com uma bela voz, Vieira interpretou clássicos da MPB, como “Flor de Lis”, canção em que Djavan retrata a morte da esposa Maria e da filha, que se chamaria Margarida, em decorrência de uma complicação no parto.

O ator Alexandre Penha, um dos integrantes do Projeto “Terapia da Alegria”, surpreendeu os participantes ao falar da importância da humanização de forma muito divertida. O artista mostrou um pouco da alegria que o grupo de palhaços realiza para levar alegria, esperança e bem-estar aos pacientes internados e em asilos.

A programação de abertura foi encerrada com um coquetel para todos os participantes. Hoje, a programação prevê cursos no Laboratório de Habilidades, no Bloco “N” e salas de aula 66, 67 e 68 no Bloco G, sobre emergências no atendimento à pediatria, adultos e gestantes.  

DESTAQUES VEJA TODOS