< Voltar

Consultor alerta das exigências do mercado de trabalho para alunos das engenharias

06 de abril de 2018
O consultor Roberto Evison Silva, da SAP Engineer, falou da importância da qualificação profissional para ingressar no mercado de trabalho até como estagiário em palestra sobre Inteligência Artificial, na noite de quinta-feira (5), para acadêmicos da UNINGÁ. Promovida pelo curso de Engenharia da Computação e de Ciência da Computação a palestra reuniu alunos de todas as engenharias da instituição.
Roberto Evison Silva é engenheiro mecânico e mestrando em Engenharia Aeroespacial pelo ITA, já tendo atuado em grandes multinacionais e atualmente presta consultoria para a SAP Engineer, empresa de origem alemã com presença em todos os segmentos e parceria com as principais marcas do mercado mundial. 
O principal recado de Silva é a importância do acadêmico estar capacitado antes de ser graduado. “O mercado oferece vagas para quem está preparado em todas as áreas, especialmente nas engenharias e especialmente para estágios”. Segundo o consultor hoje as grandes empresas não querem mais ensinar o estagiário ou o novo funcionário, mas sim que esse traga propostas e ideias.
Nas engenharias, reforçou Silva, não existe mais espaço para o profissional técnico. “O engenheiro em todas as áreas de atuação tem que criar e inovar, precisa ter uma visão sistêmica. Não existe mais espaço para o profissional nota 7, o profissional repetitivo será substituído pela máquina como em muitas outras profissões”.
Traçando um histórico das fases da revolução industrial, o consultor lembrou que desde a primeira, quando as máquinas passaram a substituir a mão de obra humana, foram suprimidas vagas de trabalho. Ao mesmo tempo, comparou, foram criadas outras oportunidades para quem estava preparado.
Atualmente, na quarta “revolução industrial”, a chamada Indústria 4.0 substitui o profissional repetitivo. Silva fez um comparativo com a indústria automobilística onde milhares de trabalhadores já foram substituídos por máquinas. “Porém alguém vai  ter que estar preparado para operar essas máquinas, aí está a necessidade de vocês se prepararem não apenas na graduação, mas irem muito mais longe agora mesmo não depois de receber o diploma”.
Com exemplos práticos Silva mostrou que a Inteligência Artificial já está em todos os setores, do chão de fábrica ao ponto de venda. “A conectividade avança muito rapidamente e o profissional das engenharias deve estar atento a esses avanços porque o mercado já exige muito dessa experiência”, afirmou citando o mix de conhecimento que as principais empresas esperam do candidato às vagas oferecidas. 
Junto com esse conhecimento, lembrou, o profissional das engenharias deve estar preparado também para entender as pessoas e se comunicar com elas, saber fazer e saber aprender, tomar decisões baseadas em dados, estar comprometido com resultados e saber “vender”.  
Silva apresentou o Sapiens Parque, em Florianópolis, onde está a SAP Engineer, considerado o Vale do Silício Brasileiro por abrigar empresas e projetos da área de tecnologia. O Sapiens Parque fomenta a criação de empresas de inovação e startups e segundo o consultor é um espaço aberto para projetos e ideias, inclusive vindas de estudantes das áreas das engenharia e da tecnologia. 
DESTAQUES VEJA TODOS