< Voltar

Curso de Engenharia Elétrica da UNINGÁ tem estrutura para produção de energia renovável

10 de abril de 2018
 O curso de Engenharia Elétrica da UNINGÁ possui um laboratório para a produção de energia renovável único entre as instituições de ensino superior privadas do Sul do Brasil. Junto com o corpo docente altamente qualificado a estrutura de laboratórios do curso garante uma formação profissional a frente do mercado.  
O Laboratório de Análise e Inovação da Produção de Energia Renovável permite aos acadêmicos transformar energia, obter dados e realizar simulações a partir de fonte Solar On Grid e Off Grid, eólica, células de combustível a hidrogênio.  Desenvolvido pela  DeLorenzo, empresa italiana especializada na produção e criação de material didático, o laboratório permite aos alunos converter potenciais energéticos disponíveis na natureza em energia elétrica sustentável.
Além do Laboratório de Análise e Inovação da Produção de Energia Renovável o curso de Engenharia Elétrica da UNINGÁ conta com outros dois laboratórios, de Sistema Elétrico de Potência e o de Geração, Conversão e Transmissão de energia elétrica, que opera com sistema SmartGrid - sistema de energia elétrica que se utiliza da tecnologia da informação para alcançar mais eficiência econômica e energeticamente.
Com os três laboratórios é possível colocar o excedente da energia renovável gerada no campus da instituição no sistema elétrico comercial. A estrutura oferecida pelo curso de Engenharia Elétrica da UNINGÁ dá condições para capacitar os acadêmicos a atuarem em todo segmento, do projeto à produção e distribuição de energia, na gestão de empresas do setor, na docência e na pesquisa.
Como a UNINGÁ firmou parceria com a empresa DeLorenzo para a transferência de tecnologia, os acadêmicos do curso tem a oportunidade também de desenvolver pesquisa de novas tecnologias ao mesmo tempo que terão acesso a toda inovação produzida pela empresa.  
Com o nível de formação oferecido pela UNINGÁ o profissional graduado em Engenharia Elétrica pode atuar em indústrias, empresas de projetos e instalações, desenvolvimento e montagem de equipamentos eletrônicos e de projetos industriais e hospitalares, instituições científicas, empresas geradoras e distribuidoras de energia elétrica, além de estar apto a dar aulas e atuar em pesquisa. Com o aumento do consumo e os projetos de privatização das geradoras e fornecedores de energia o mercado para o engenheiro eletricista está em ascensão nos últimos anos. 
Fotos: Douglas Marçal
DESTAQUES VEJA TODOS