AGRONOMIA

OBJETIVOS GERAIS DO CURSO

O curso de graduação em Engenharia Agronômica (Agronomia) da UNINGÁ tem por objetivo formar profissionais capazes de gerar e desenvolver tecnologias para o desenvolvimento agropecuário, bem como de estabelecer um elo de ligação entre o homem do campo e os centros geradores de tecnologia, colaborando com a melhora da qualidade de vida das populações que vivem das atividades ligadas à terra, trabalhando para a sustentabilidade da agricultura.

PERFIL DO EGRESSO

O egresso do curso de graduação em Engenharia Agronômica (Agronomia) da UNINGÁ estará capacitado tanto sob o ponto de vista do progresso social quanto da competência científica e tecnológica. Assim, o egresso possuirá habilidades e competências para o desenvolvimento em elevado nível de cognição no que se refere aos conhecimentos próprios ao manejo dos sistemas agrícolas, bem como aos conhecimentos de outros campos ligados à área. O egresso estará apto para uma atuação equilibrada no que se refere às questões agrícolas-ambientais e de caráter humano. As atividades práticas realizadas durante seu curso garantem que o egresso seja capaz de atender ao desafio de auxiliar os agricultores na consolidação de suas expectativas, uma vez que o profissional compreende integralmente os sistemas agrícolas, nos seus aspectos técnicos, sociais e ambientais. A visão estratégica sobre a vocação agrícola regional também é contemplada, posto que o egresso reconhece os circuitos alimentares nos quais estão envolvidos os agricultores, seja localmente ou no contexto nacional.

MERCADO DE TRABALHO

O Engenheiro Agrônomo pode atuar em diferentes setores, tais como: manejo de espécies animais e vegetais para a produção de alimentos, matérias-primas e diversos produtos de uso social. Também possui forte atuação no melhoramento genético vegetal e animal, bem como na produção de sementes e mudas. Pode dedicar-se ao planejamento de construções rurais, ao manejo de recursos hídricos, como a irrigação e a drenagem ou ainda à mecanização e implementos agrícolas. Há crescente demanda pela dedicação à conservação da biodiversidade, paisagismo e jardinagem, à gestão de recursos florestais não-madeireiros, ao manejo, classificação e conservação do solo, de bacias hidrográficas e de recursos naturais renováveis. Por outro lado, também há demanda por atuação profissional dedicada ao controle de poluição na agricultura, ao desenvolvimento ou implementação de tecnologia de transformação e conservação de produtos de origem vegetal e animal, de nutrição e alimentação animal. Finalmente, o Engenheiro Agrônomo pode dedicar-se à questões socioeconômica rural, relacionadas ao planejamento e administração de unidades de produção agrícolas e relações de assessoria técnica aos agricultores.